quarta-feira, 27 de janeiro de 2016



ATENÇÃO!

Novo e-mail para contato: contato@sementesdeprosperidade.org


Gratidão!

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Distribuição gratuita de sementes de Moringa Oleifera


Como fazer para receber gratuitamente sementes de Moringa Oleifera, conhecida como Árvore dos Milagres e Árvore da Vida:

- Na cidade de São Paulo podem ser retiradas pessoalmente (qualquer quantidade, sendo que até 10 sementes por pessoa são gratuitas, juntamente com folheto explicativo) próximo ao metrô Butantã, na Rua Sebastião Martins, 712 (Google Mapas: http://tinyurl.com/nbrxgb6), Tim/WhatsApp (11) 9-5247-6413 (por gentileza entrar em contato antes para confirmar retirada).

Para receber pelo Correio: abaixo os valores para o envio pelo Correio, já com o valor da postagem incluído.

10 sementes – R$ 15,00
50 sementes – R$ 20,00
100 sementes – R$ 25,00
200 sementes – R$ 34,00
300 sementes – R$ 42,00
400 sementes – R$ 49,00
500 sementes – R$ 54,00
(*)Para quantidades acima de 500 sementes, favor entrar em contato informando o CEP para orçamento.

Como se pode observar, é bem mais vantajoso encomendar 100 sementes ao invés de 10. A razão da pequena diferença é porquê a variação no valor da postagem é pequena, e também justamente para incentivar a aquisição de uma quantidade maior, para divulgação e distribuição para um número maior de pessoas. Quanto mais plantarmos a Moringa Oleifera, mais nos beneficiamos, bem como as futuras gerações, pois ela nos garante elementos tão fundamentais para todos os seres, como nutrição e água potável.

Caso tenha interesse em receber as sementes da Moringa Oleifera pelo Correio, basta fazer um depósito na conta abaixo e enviar a confirmação no e-mail contato@sementesdeprosperidade.org, fornecendo os dados de envio (nome e endereço):

Banco Santander
Ag. 0691
C/C 01.008538-5
CPF 117.358.428-50
Favorecido: Marco Aurélio Soares da Silva
Pela saúde e nutrição das crianças e de nossas famílias e comunidades
Pela pureza e abundância das águas e fertilidade do solo
Pela qualidade de vida e prosperidade individual e coletiva.

Reportagem na Revista Época de Junho/2015 sobre a Acácia Branca (nome científico: Moringa Oleifera), conhecida como Árvore dos Milagres e Árvore da Vida devido às suas extraordinárias propriedades nutritivas, medicinais e de purificação da água:

http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/viajologia/noticia/2015/06/moringa-arvore-magica-que-pode-acabar-com-fome-no-mundo.html

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Árvore da Vida


A Moringa Oleífera (Moringaceae), planta originária da Índia é considerada por botânicos e biólogos, um milagre da natureza. Uma esperança para o combate da fome no mundo. Rica em vitaminas e sais minerais, ela tem, segundo os estudos mais recentes:
a) Sete vezes mais vitamina C que a laranja;
b) Quatro vezes mais cálcio que o leite;
c) Duas vezes a proteína do Yogurte;
d) Quatro vezes mais vitamina A que a cenoura;
e) Três vezes mais potássio que a banana;
f) 27% de proteína, equivalente à carne do boi;
g) Mais ferro que o espinafre;
h) Vitaminas presentes: A, B (tiamina, riboflavina, niacina), C, E, e beta caroteno.
i) Minerais presentes: Cromo, Cobre, Fósforo, Ferro, Magnésio, Manganës, Potássio, Selênio e Zinco.
UTILIZAÇÕES POSSÍVEIS DA PLANTA
SEMENTES – De sua semente se extrai um óleo similar em qualidade ao azeite de oliva. Por ser a única planta conhecida que floresce todo o ano, é, também, considerada melífera, própria para a criação de abelhas. Seu mel é considerado medicinal e alcança elevado valor no mercado europeu. Pela produção intensiva de flores e sementes, estudos recentes recomendam seu plantio para extração de biodiesel de suas sementes.
As sementes verdes podem ser cozidas, como feijão vagem, quiabo, soja, etc., e servidas na forma de salada.
FOLHAS – Suas folhas e flores são comestíveis, para humanos e animais. Podem, também, ser utilizadas em chás para uso continuo.
FLORES – Das flores se faz um prato apreciado na Indonésia e Timor Leste, chamado makansufa, As flores são fritas em óleo de coco, e imersas em leite de coco, sendo comidas com arroz ou milho. As folhas e flores podem, também, ser consumidas em vitaminas ou sucos com outros legumes, como beterraba, cenoura, ou frutas como a laranja, maçã, melão, mamão, caju, abacaxi. etc. Também, podem ser utilizadas em chás para uso continuo.
As flores também poderão ser utilizada em um chá medicinal, recomendado para resfriados, de uso popular em vários países. O suco das flores ou folhas, pode compor caldos ou molhos, na sua forma natural para preservar vitaminas e sais minerais. É excelente no tratamento para redução de peso, e por ser rica em nutrientes, facilita uma reeducação alimentar sem agressão ao corpo e ao metabolismo.
As suas flores são muito utilizadas para alimentação de abelhas tipo Europa (Apis) ou as nativas sem ferrão. Produzem muito néctar para a alimentação das abelhas, florescendo o ano todo. De suas folhas, flores ou sementes, se pode extrair um produto, utilizado como decantador no tratamento de água para consumo humano, similar aos produtos aos químicos utilizados pelas companhias de tratamento de água. As folhas maceradas em poças de água barrenta provocam rápida limpeza. Se não estiver contaminada, fica própria para o consumo. No Nordeste brasileiro esta planta já está sendo utilizada para este fim.
VAGENS – As vagens novas podem ser cozidas, iguala aspargos ou vagens de feijão. E bastante utilizada desta forma no Haiti.
CASCAS – De suas cascas se faz artesanato, pois são muito maleáveis e próprias para moldar e fazer cestos, trançados, etc. Pode ser processada para extrair uma fibra, para produzir tapetes. Sua seiva tem gosto adocicado.
BATATAS – Pode-se plantá-la em canteiros, como uma hortaliça, e quando a planta atinge cerca de 30 centímetros, arranca-se o pé e se extrai uma batata para consumo alimentar. Tem gosto de rábano, próximo do rabanete, A seiva e a batata, tem todas as vitaminas da plantas em concentração. Essa batata pode ser comida em saladas ou refogados. Ou mesmo em sucos de frutas ou legumes. Após esse período de 30 dias a batata desaparece e transforma-se na raiz da planta.
ORNAMENTAL – Em muitos países se planta a Moringa como ornamental pois ela produz flores o ano inteiro, sendo a única planta conhecida com essa capacidade.
CELULOSE – Sua madeira é mole, mas é excelente para produzir celulose para fabricação de papel.

Distribuição gratuita de sementes de Moringa Oleifera


Como fazer para receber gratuitamente sementes de Moringa Oleifera, conhecida como Árvore dos Milagres e Árvore da Vida:

- Na cidade de São Paulo podem ser retiradas pessoalmente (qualquer quantidade, sendo que até 10 sementes por pessoa são gratuitas, juntamente com folheto explicativo) próximo ao metrô Butantã, na Rua Sebastião Martins, 712 (Google Mapas: http://tinyurl.com/nbrxgb6), Tim/WhatsApp (11) 9-5247-6413 (por gentileza entrar em contato antes para confirmar retirada).

Para receber pelo Correio: abaixo os valores para o envio pelo Correio, já com o valor da postagem incluído.

10 sementes – R$ 15,00
50 sementes – R$ 20,00
100 sementes – R$ 25,00
200 sementes – R$ 34,00
300 sementes – R$ 42,00
400 sementes – R$ 49,00
(*)Para quantidades acima de 400 sementes, favor entrar em contato informando o CEP para orçamento.

Como se pode observar, é bem mais vantajoso encomendar 100 sementes ao invés de 10. A razão da pequena diferença é porquê a variação no valor da postagem é pequena, e também justamente para incentivar a aquisição de uma quantidade maior, para divulgação e distribuição para um número maior de pessoas. Quanto mais plantarmos a Moringa Oleifera, mais nos beneficiamos, bem como as futuras gerações, pois ela nos garante elementos tão fundamentais para todos os seres, como nutrição e água potável.

Caso tenha interesse em receber as sementes da Moringa Oleifera pelo Correio, basta fazer um depósito na conta abaixo e enviar a confirmação no e-mail fernando@vectorequilibrium.com, fornecendo os dados de envio (nome e endereço):

Banco Santander
Ag. 0691
C/C 01.008538-5
CPF 117.358.428-50
Favorecido: Marco Aurélio Soares da Silva
Pela saúde e nutrição das crianças e de nossas famílias e comunidades
Pela pureza e abundância das águas e fertilidade do solo
Pela qualidade de vida e prosperidade individual e coletiva.
Neste link você pode visualizar/baixar um folheto informativo sobre a Moringa oleifera, que distribuímos com as sementes: https://www.dropbox.com/s/34n81ezdl2tjphp/Panfleto%20Moringa%20Oleifera%20(atualiza%C3%A7%C3%A3o%2024-nov-15).doc?oref=e&n=177090334

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Cultivo e Produção de Farinha das Folhas de Moringa



Cultivo e Produção de Farinha das Folhas de Moringa

Nutrientes
% do Valor diário recomendado para crianças em 25gr do pó de Moringa
% do Valor diário recomendado para gestantes em 25gr do pó de Moringa
Proteína
42%
21%
Cálcio
125%
84%
Magnésio
61%
54%
Potássio
41%
22%
Ferro
71%
94%
Vitamina A
310%
162%
Vitamina C
22%
9%

Colheita da folha de Moringa

As folhas da moringa podem ser colhidas a qualquer momento uma vez que as árvores são estabelecidas. Para cultivar a Moringa de forma intensiva para grande produção, as plantas são cultivadas com espaçamento de 10 x 10 cm entre elas e cortadas de 15 a 30 cm acima do solo assim que atingem a altura de 1,50 metro aproximadamente. Podas de limpeza podem estimular a produção de folhas.
Em plantações intensivas, a Moringa pode ser colhida até nove vezes por ano. Para facilitar a colheita de folhas de Moringa em árvores já crescidas, corte a árvore inteira a uma altura de 1-2 metros do chão, sendo melhor durante o período chuvoso para que a árvore seja capaz de se recuperar antes da estação seca. Outros métodos de colheita de folhas de Moringa para árvores já crescidas incluem: cortar ramos selecionados (deixando alguns ramos para a próxima safra ou produção de sementes), contando-os pela metade.
Moringa
Após a colheita, as folhas da moringa devem ser retiradas do caule. Durante este processo, as folhas danificadas ou descoloridas podem ser retiradas para ração animal ou para compostagem (Caules e ramos também podem ser usados como ração animal ou adubo). As folhas são então lavadas em água limpa ou solução de água sanitária muito fraca (1:100) para remover a sujeira e possíveis germes.

Secagem Folhas de Moringa

As folhas da moringa devem ser secas em uma área protegida da luz, para evitar a perda de vitaminas, e protegida de poeira e pragas para evitar contaminação. Se necessário, as folhas de Moringa podem ser cobertas por um pano fino ou mosquiteiros para ajudar a mantê-los limpas durante a secagem.
O processo de secagem deve ser concluído o mais rapidamente possível para evitar o crescimento de fungos. Caso apareça mofo ou bolor as folhas devem ser jogadas fora ou utilizadas para compostagem. Se a umidade do ar é alta, as folhas de Moringa devem ser espalhadas em camadas finas e ser reviradas com frequência; desidratadores, fornos, secadores ou ventiladores podem ser necessários em casos de extrema umidade ou para grandes produções. Quando as folhas de Moringa tornam-se frágeis e se quebram facilmente, elas estão secas e prontas para fazerem o pó.

Maneiras de secar as folhas de Moringa

1. Espalhe folhas de Moringa limpos em um pano dentro de casa ou outra estrutura protegida
2. Espalhe folhas de Moringa limpas em bandejas de suspensão feita com telas finas
3. Faça cachos com os ramos de Moringa e pendure no telhado ou em uma varanda com uma corda (similar a secagem de tabaco, pois este método, as folhas são deixadas no caule). Não deixe com que a Moringa fique exposta a luz solar.

Moagem das folhas de Moringa

As folhas secas de Moringa podem ser transformadas em pó usando um almofariz e um pilão, moedores de grãos (manivela ou motorizado) ou simplesmente esfregando as folhas secas contra uma tela fina. Uma vez que as folhas secas de Moringa foram transformadas em um pó, o pó de folhas é peneirado para remover todas as hastes restantes.

Armazenando do pó da folha de Moringa

O pó das folhas de Moringa deve ser. Armazenado. Em recipientes herméticos protegido de calor, umidade e luz. Se o pó das folhas de Moringa não for secado ou for armazenado de forma inadequada poderá incentivar o crescimento de fungos ou mofos, que podem causar problemas que vão desde desagradáveis até prejudiciais à saúde. Se o pó de Moringa for exposto ao calor ou a luz do sol, seu conteúdo de nutrientes será reduzido. O pó das folhas de Moringa pode ser armazenado por até seis meses, nas seguintes condições: limpo, seco em pó armazenado em recipientes herméticos, protegido da luz e umidade, e mantido abaixo de 24 ° C.

Usando o pó da folha de Moringa

O pó de Moringa pode ser adicionado a qualquer alimento ou bebida para aumentar suas concentrações de vitaminas, minerais e proteínas. Para indivíduos saudáveis, algumas colheres de pó de folha de Moringa pode ser adicionado a qualquer refeição para torná-la mais nutritiva. Como o conteúdo de nutrientes do pó das folhas da Moringa diminui quando expostos ao fogo, acrescente o pó depois que o alimento ou bebida for preparado, pouco antes de servir.
O pó de Moringa tem maior impacto sobre aqueles que são mais vulneráveis: crianças desnutridas, mulheres grávidas ou lactantes, crianças em idade de desmame, portadores de HIV / AIDS e idosos. Crianças desnutridas de 1-3 anos devem consumir três colheres (25g) de folhas de Moringa em pó por dia. As mulheres grávidas ou lactantes devem consumir seis colheres (50g) de folhas de Moringa em pó por dia.


Palavras-chave:
Moringa Tree, cultivo moringa, Pó de Moringa, folha de moringa, moringa em pó, como secar folhas de moringa, como secar as folhas de moringa, como fazer o po da moringa, moringa cultivo, cultivo da moringa

(Originalmente publicado em http://murall.com.br/cultivo-e-producao-de-po-das-folhas-de-moringa)

Moringa oleifera


UM PURIFICADOR NATURAL DE ÁGUA E COMPLEMENTO
ALIMENTAR PARA O NORDESTE DO BRASIL
(E PARA O MUNDO TODO)

Além de conter alto teor de vitamina A e C, cálcio, ferro e fósforo,
a planta pode ser usada como purificador da água.

Por: Maria Salete Rangel*

A Moringa oleifera pertence à família Moringaceae, que é composta apenas de um gênero (Moringa) e quatorze espécies conhecidas. Nativa do Norte da Índia, cresce atualmente em vários países dos trópicos. É um arbusto ou árvore de pequeno porte, de crescimento rápido, que alcança 12m. de altura. Possui uma copa aberta, em forma de sombrinha e usualmente um único tronco ( foto 1). As flores que emergem em panículas, ( foto 2) de cor creme, perfumadas, muito procuradas pelas abelhas.

A planta é conhecida por vários nomes comuns, de acordo com os diferentes usos. Para alguns, é conhecida como 'baqueta' em razão da forma dos seus frutos (foto 3) que representam um alimento básico na Índia e na África. Em algumas partes do oeste da África, é conhecida como "a melhor amiga da mãe" como uma indicação de que a população local conhece muito bem todo o seu valor. A planta produz uma diversidade de produtos valiosos dos quais as comunidades locais fazem uso por centenas, talvez milhares de anos.

Os frutos verdes, folhas, flores e sementes torradas são altamente nutritivos e consumidos em muitas partes do mundo. O óleo obtido das sementes da Moringa pode ser usado no preparo de alimentos, na fabricação de sabonetes, cosméticos e como combustível para lamparinas. A pasta resultante da extração do óleo das sementes pode ser usada como um condicionador do solo, fertilizante ou ainda na alimentação animal. Na Índia, todas as partes da planta são usadas na medicina natural, porém, a química e a farmacologia das diferentes partes da planta são ainda pouco conhecidas. Em virtude da falta de dados científicos referentes às propriedades medicinais da planta nenhuma recomendação de uso pode ser feita neste sentido.

A Moringa pode ser facilmente propagada por sementes ou por estacas. As sementes podem ser plantadas diretamente no local definitivo ou em sementeiras. Não há necessidade de nenhum tratamento prévio. A planta requer poucos tratos culturais e cresce rapidamente até uma altura de 4m. no primeiro ano. Em condições favoráveis, uma única planta pode produzir de 50 a 70 kg de frutos/ano. É uma das plantas mais úteis para a as regiões semi-áridas.
Foto 2
Na Índia e na África, a Moringa é encontrada crescendo em áreas próximas à cozinha e em quintais, onde as folhas são colhidas diariamente para uso em sopas, molhos e saladas. Possuem um alto conteúdo de proteína (27%) e são ricas em vitamina A e C, cálcio, ferro e fósforo. Nas regiões secas, o cultivo da Moringa é vantajoso uma vez que suas folhas podem ser colhidas quando nenhum outro vegetal fresco está disponível. As flores, só devem ser consumidas cozidas, fritas na manteiga ou misturadas a outros alimentos. Os frutos verdes são também muito nutritivos, contendo todos os aminoácidos e são preparados de forma similar às ervilhas verdes, possuindo um sabor próximo ao dos aspargos.
A análise bromatológica das sementes de Moringa, realizada no Laboratório de Nutrição Animal da Embrapa Tabuleiros Costeiros, mostrou teores de 26% de óleo, 27% de proteína e 44% de digestibilidade. Para o resíduo das sementes após a extração do óleo, o teor de proteína subiu para 34% e a digestibilidade para 56%. Estes resultados são bem promissores quando se visa o uso do resíduo das sementes na nutrição animal.
Foto 3

PURIFICADOR NATURAL
Em alguns países em desenvolvimento, a água dos rios utilizada para consumo humano e uso doméstico em geral, pode ser altamente túrbida, particularmente na estação chuvosa, contendo material sólido em suspensão, bactérias e outros microrganismos. A cada ano, milhões de crianças poderão morrer nesses países, vítimas de infeções causadas por água impura. É necessário que se remova a maior quantidade possível desses materiais antes de usá-la para consumo. Normalmente isso é obtido pela adição de coagulantes químicos, dentro de uma seqüência de tratamento controlado. Coagulantes químicos, tais como o sulfato de alumínio, às vezes não estão disponíveis a um preço razoável para as populações dos países em desenvolvimento. Uma alternativa é o uso de coagulantes naturais, geralmente de origem vegetal, para promover a coagulação de tais partículas.

As descobertas recentes do uso de sementes trituradas de M. oleifera para a purificação de água, a um custo de apenas uma fração do tratamento químico convencional, constitui uma alternativa da mais alta importância. Em relação à remoção de bactérias, reduções na ordem de 90-99% têm sido relatadas na literatura. Deve ser observado, porém, que o uso do tratamento com sementes, assim como o de outros coagulantes naturais e químicos, não produz água purificada. O risco de infecção pode ser altamente reduzido e a água passa a ser considerada potável. Portanto, alguma forma de desinfecção, tal como fervura, é recomendada.

Em um projeto piloto para tratamento de água em Malawi, na África, foi constatado que enquanto o alumínio é eficiente como coagulante apenas em uma faixa restrita de níveis de pH da água a ser tratada, as sementes de Moringa atuam independentemente do pH, constituindo-se em uma vantagem a mais em países em desenvolvimento, onde normalmente não é possível controlar efetivamente o pH antes da coagulação. Tais sementes podem ser usadas no tratamento de água, abrindo possibilidades que asseguram que os países emergentes possam ter água saudável, limpa e potável e para o uso doméstico. Poderão, sem duvida, se transformar numa solução para reduzir a incidência de doenças provocadas por água impura, que representam uma das principais causas que levam à alta incidência de morte.

Há relatos, na literatura, da introdução de M. oleifera em alguns estados do Brasil a partir de 1950. Porém, como o seu potencial não era bem conhecido, a planta foi usada apenas como ornamental.

A Embrapa Tabuleiros Costeiros, em Aracaju, Sergipe, em um trabalho pioneiro, vem realizando um estudo preliminar com plantas de M. oleifera, relativo ao seu comportamento nas condições climáticas da região. O interesse pela potencialidade da planta vem crescendo consideravelmente na comunidade e um programa de produção de mudas já está em andamento. O plantio de mudas de M. oleifera nas estações experimentais deste Centro também já foi iniciado para que se constituam bancos de semente de futuros de programas de aproveitamento da planta como fonte de alimento e purificador natural de água para as populações das áreas sujeitas à secas.

*Maria Salete Rangel é bióloga e pesquisadora da Embrapa - Tabuleiros Costeiros - Aracajú - SE

(Artigo republicado de http://www.jardimdeflores.com.br/floresefolhas/A10moringa.htm)

sexta-feira, 17 de maio de 2013


Semente de moringa pode matar mosquito da dengue


 
Pesquisadores da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) descobriram que a semente da árvore moringa oleifera, encontrada em todo o país, pode ser usada para combater as larvas do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e da febre amarela

Segundo o estudo, uma das proteínas contidas nas sementes, a lectina, impede o processo de digestão da larva, provocando sua morte por desnutrição. Os testes de campo, que revelarão por quanto tempo o produto continua agindo, deverão ser iniciados na próxima semana.

De acordo com a coordenadora da pesquisa, Patrícia Paiva, as vantagens do uso da semente em relação a outros larvicidas são o baixo custo de produção, a toxidade nula ao homem nas proporções utilizadas e a eficiência do produto. "Os mosquitos estão criando resistência aos inseticidas comuns".

Iniciado em 2005, o estudo com a semente mostrou que o produto é eficaz nas quatro fases de desenvolvimento das larvas. Nos testes realizados pela universidade, foram utilizadas sementes moídas puras e diluídas. Nos dois casos, após a definição das doses, os insetos não se desenvolveram.

(Folha de SP, 26/4)